quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Poemas Classificados 2917 - 058 (N.º 611 - Ano IV)


Desenho gentilmente cedido pela artista e poeta Clevane Pessoa.


Privação
Na taberna dos sonhos
prateleiras vazias
fazem proclamas de solidão.
Atiro-me sobre as horas
para matar o tempo
de saudades imorríveis.
Escrevo joios em minha seara
que o minuano
varreu de silêncios e gafanhotos.
Em meu peito seco
correm areias e desesperanças
inundando as vazantes de nostalgia.
Meus dias são de eterno perder-me
se te ausentas
da minha diária ração de amor.

Classificado para o POEMÁRIO 2018 da PASTELARIA STUDIOS de Lisboa (POR), em 16/10/17.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Certificados Recebidos 2017 - 010 (N.º 610 - Ano IV)


Certificado recebido pela classificação em PRIMEIRO LUGAR no Prêmio Miau de Literatura – Ano I – 2017, São Vicente (SP), com o livro de micro contos ALOPATIA EM DOSES HOMEOPÁTICAS, em 15/10/17.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Trajetória Literária 2017 - 025 (N.º 609 - Ano IV)



Fotos: Francisco Ferreira.

Desalento



No teu leito de esgoto

fluxo fétido e constante, é raro alterar-se

em tuas margens, fluxos outros

correm céleres, desaceleram... até parar.

Buzinas marginais

rascam imundícies íntimas

acordando fantasmas de peixes

assustando ratos.



Desce lento, rio morto

rio esgoto e sem portos

trilha sertão-via-mar.

Em afluentes te purificas

oxigenando-te o vagar.

Vargens, pontes, vagalumes

até as vagas do mar.



Vai-te embora Doce, Manso

Velho Chico, Paraopeba...

Vai-te embora te lavar.


Participação no II SARAU DO MATO A DENTRO, com o poema DESALENTO, em 14/10/17.

domingo, 15 de outubro de 2017

Textos Classificados 2017 - 021 a 061, Textos Publicados 2017 - 060 a 099 e Livros Publicados 2017 - 004 (N.º 608 - Ano IV)




Recebimento de 01 (um) exemplar do livro ALOPATIA EM DOSES HOMEOPÁTICAS – Costelas Felinas Editora – Edição I/2017 – São Vicente (SP), classificado em 1º Lugar no PRÊMIO MIAU DE LITERATURA I – 2017.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Textos Publicados 2017 - 059 (N.º 607 - Ano IV)

Desenho gentilmente cedido pela multi-artista Clevane Pessoa.


A César o que é de César



Há mais de 40 anos atrás, eu ainda morava na fazenda e vínhamos à cidade por ocasião das festas, campanhas de vacinação ou alguma doença que não se tratasse com chás, simpatias e as mezinhas costumeiras, quando numa destas vindas, da janela da casa dos meus avós em que debruçava-me para apreciar a cidade, vi três rapazes, hoje doutos senhores e tidos e havidos como cidadãos de bem, homens de peso e medidas; que, havendo capturado um gambá, despejaram gasolina no animal e atearam fogo. Eu chorei, me revoltei e, mesmo depois de 4 décadas, não tolero os tais “homens de três alturas”, mas que na juventude foram tão cruéis com aquele bichinho. Esta imagem me traumatiza até hoje.

Há alguns anos vendo o filme Patriota (do roteirista Robert Rodat, dirigido por Roland Emmerich e estrelado por Mel Gibson), numa das sequencias o regimento comandado pelo capitão Willian Tavington (Jason Isaacs) ateia fogo a um templo cheio de idosos, mulheres e crianças. O filme é bom, apesar de violento, mas essas cenas me chocaram e não consigo me recordar do filme sem que elas não sejam as primeiras que venham à mente.

No livro História Universal da Destruição de Livros o autor Fernando Baéz diz que “ao destruir com fogo, o homem brinca de ser deus, dono do fogo da vida de morte.” E que “se se queima um homem, ele é reduzido aos seus quatro elementos principais (carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio)”. Nesta semana um homem desequilibrado, com sofrimento mental, adentrou a creche Gente Inocente, na pequena cidade de Janaúba no norte de Minas Gerais e ateou fogo ao seu próprio corpo, em funcionários e alunos, causando comoção nacional. Não estou aqui para julgar e nem condenar a ninguém, não tenho este direito, mas não posso calar-me diante desta tragédia. Ora, se o sujeito tinha problemas mentais (quem não os tem, em graus diferentes?) ele não poderia estar apto a continuar desempenhando suas funções, sobretudo no convívio com crianças indefesas. Onde estava o aparato do Estado em proteger este ser de si mesmo e garantir que ele não fizesse mal a si próprio e nem aos outros? Um dos grandes responsáveis por isto é sistema previdenciário e seus processos lentos e irresponsáveis em marcar perícias e pagar pontualmente os benefícios; o que leva muitas pessoas a continuarem a trabalhar mesmo sem ter as mínimas condições físicas e principalmente psicológicas.

Lembro-me de uma colega de trabalho que ao receber seus salários e os mesmos não serem suficientes para quitar o total de seus débitos no supermercado, rasgou todo o dinheiro e que noutra ocasião ameaçou de ferver um litro de leite e atirar no rosto da atendente do caixa de outro supermercado, alegando que ela havia lhe vendido leite estragado. E, mesmo fazendo uso dos famosos tarjas pretas não conseguiu afastamento do trabalho, vindo aposentar-se por idade. Ela também convivia diariamente com crianças e só, por muita sorte, não cometeu barbaridades. Conforme disse anteriormente, não me compete julgar este ou aquele, mas que alguém precisa responder criminalmente por estes fatos, disto ninguém duvida.

Uma excelente semana para todos e repleto de boas notícias apenas.

Publicação semanal em minha coluna FIEL DA BALANÇA no blog OCEAANO NOTURNO DE LETRAS – Rio de Janeiro (RJ), em 9/10/17.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

domingo, 8 de outubro de 2017

Poemas Classificados 2017 - 057 (N.º 602 - Ano IV)





Construção



A pá lavra... a terra.

Desterra o poema

donde nem o pó e mais

visível. Olhos nus.

Na língua inculta

permeia a poesia

ao homem em construção.

Na cal das paredes

A pedra, a pá lavra.

Classificado no I Prêmio Literário Patativa do Assaré da Educadora 7 de Setembro - Fortaleza (CE), em 4/10/17.

sábado, 7 de outubro de 2017

De Amigos 2017 - 002 (N.º 601 - Ano IV)


Foto do acervo pessoal de Welinton Magno da Silva.

Não há



Força contrária e nem obstáculo que

Resista ou que se oponha

Ao jeitinho harmonioso com que a

Natureza, com seu hábil

Cinzel, vai lapidando e

Intensificando o brilho da joia interna de cada

Ser. O realizar de cada sonho está no desejo ardente do

Coração. Os sonhos são atemporais e desde o

Outrora, no eterno agora e no breve porvir



Tudo no Universo é plausível de fluir...

Das entranhas da bucólica Tapera,

Ainda noutra Era,

Nasceu! Surgiu um diamante bruto,

De valor real, que viria a ser muito bem lapidado.

Quilate elevado! Brilho radiante!

O auto lapidar-se é gratificante.

Amigo conterrâneo!

Amigo e Poeta contemporâneo,







A tua

Poesia flui maravilhosamente das tuas míticas

Entranhas, com suave cadência, belas rimas e sábias métricas,

Trazendo à superfície de nós, a visão de que os bons

Rebentos que aqui deixamos refletem e

Ostentam a Essência Crística da nossa

Natureza Divina. Poesia Divinal!

Inenarrável é a alegria em ver um talento amigo, um ser

Onírico, escalando com primor a Montanha de si mesmo.



Cá! Na vastidão deste íntimo ermo,

No topo da Montanha de Fé, brado: PARABÉNS PETRÔNIO!

Realiza com fé e nobreza cada sonho

Teu.

Eu,

Desde há muito conheço e compartilho teu talento. Nossa!

Talento insofismável! Desde os idos tempos da boa roça

Admiro os arautos da tua boa prosa.

Poetar é preciso!

Penso! Logo o verso já está escrito.







“ Conceição entre verdes montanhas,

Aqui vive tranquila e feliz”...

Tendo a tua poesia escrita em douradas linhas,

Poesia germinada das tuas bucólicas “ Raízes.”

Poesia alada que voa nas conceicionenses

Asas do teu íntimo “Pássaro”.

Voa! Bárbaro!

Bravo! “ Na colina sagrada Jesus”...

Na escrivaninha bem ornada há poesia e luz.

Francisco Petrônio! Nobre e valente coração.

Nobilíssimo Poeta de Conceição!



...” Quando o Sol de manhã se levanta,

Conceição em ouro e luz se retrata”...

Refletindo o brilho da tua poesia iluminada.

Teu voo é longínquo, voará em todos os quadrantes.

Avante... “ Conceição! Terra querida!

Nossa Terra singela e gentil

És um astro que cintila

Neste céu tão azul do Brasil”...

Aplausos ao Poeta varonil

Francisco Petrônio!” Nesta Terra cheia de encanto e esplendor”

A tua poesia é uma gota homeopática de amor.

Lindo poema do poetamigo WELINTON MAGNO DA SILVA por ocasião do lançamento do livro RAÍZES DE PÁSSARO.

https://www.facebook.com/welinton.magnodasilva/posts/1829371713758045

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Poemas Classificados 2017 - 056 (N.º 600 - Ano IV)




Ceifador



O espantalho do outro lado do espelho

enlaça-me em abraços de feno

e bailamos sobre cabeças de gelo

na Stalingrado arrasada.

Meu cérebro de capim

capta em antenas de vespas

vestais de Atenas

em pensamentos de flor e mel.



Minhas más intenções balouçam

como folhas no vale das pirâmides

a conceber cartadas de amor.

Num horizonte de pedra e pólen

o orvalho matinal prenuncia

dias de sol, doiradas farturas.



Saldamos as dívidas mútuas

no sal de Ló, à entrada de Gomorra,

para que limpos adentremos o submundo

num ajuste final com Hades

que nos permita vermos no olho

das tecelãs do Olimpo.

E não nos faltem amor em grãos

espigas de paz, na farta seara de bênçãos

das estações que se avizinham.



Antes que as valquírias nos colham,

aos pedaços, do interior de Cronos.

Classificado para a antologia Frutos de Um Jardim 2 - de Pontes Antologias - organização Lenilson Silva, em 1º/10/17.



quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Livro Premiado 2017 - 001 ( N.º 599 - Ano IV)



Livro ALOPATIA EM DOSES HOMEOPÁTICAS (micro contos) foi classificado em 1º lugar no I PRÊMIO MIAU DE LITERATURA da COSTELAS FELINAS EDITORA de São Vicente (SP), em 1/10/17.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Balanço Literário de Setembro - 2017 e Anual (N.º 598 - Ano IV)


Lançamento do livro Raízes de Pássaro. Foto: José Maria Ferreira Júnior.

Balanço do mês de Setembro/2017:



·         02 Classificações em concursos literários;

·         05 Crônicas publicadas em blogs de que sou colunista fixo;

·         91 Poemas publicados;

·         02 Matérias em jornal (físico);

·         02 Matérias em jornal (on line);

·         01 Divulgação do livro RAÍZES DE PÁSSARO em fanpages, blogs e afins;

·         01 Trova publicada;

·         01 Coluna publicada em jornal “PÍLULAS DE CULTURA” (fisico e on line);

·         01 Livro físico publicado;

·         02 Trovas em destaque em desfile;

·         01 Homenagem em poema;

·         02 Trovas estudadas em sala de aula;

·         01 Palestra ESPALHANDO POESIA proferida em escola;

·         01 Participação em colar de trovas;

·         01 Lançamento de livro físico.







Balanço do ano 2017:



·         70 Classificações em concursos literários;

·         44 Crônicas publicadas em blogs de que sou colunista fixo;

·         10 Microcontos publicados;

·         42 Poemas publicados;

·         05 Matérias em jornal (on line);

·         26 Trovas publicadas;

·         01 Convite para participação em blog coletivo,

·         03 Entrevistas concedidas;

·         154 Poemas publicados (físico);

·         01 Conto publicado (físico);

·         01 Perfil publicado em blogs diversos;

·         01 Adição como colaborador em blogs diversos:

·         01 Homenagem em trovas:

·         01 Participação em Varal de Poesias (em escola);

·         07 Contos publicados;

·         06 Criações de perfis em plataformas diversas;

·         01 Trova declamada em seção de UBTs diversas;

·         01 Participação em Varal de Trovas em UBTs diversas;

·         01 Publicação de livro em PDF.

·         01 Admissão em Academia Literária (ALPAS 21);

·         01 Prefácio em e-book;

·         02 Convite para Academia Literária;

·         06 Microcontos publicados (físico);

·         02 Medalhas de Mérito Literário recebidas;

·         06 Diplomas de Mérito Literário recebidos;

·         05 Citações em fanpage, blogs e afins;

·         01 Convite para ser resenhista fixo em blog literário;

·         01 Apresentação em blog literário;

·         05 Matérias em jornal (físico);

·         01 Conto publicado em e-book;

·         07 Resenhas publicadas;

·         01 Lançamento de concurso literário;

·         01 Adição como editor em fanpage do facebook;

·         01 Divulgação de Concurso Literário (organizador) em blogs diversos;

·         01 Divulgação do livro RELICÁRIO VAZIO em fanpage, blogs e afins;

·         03 Divulgações do livro RAÍZES DE PÁSSARO em fanpage, blogs e afins;

·         01 Convite para ser colunista em jornal (físico e on line);

·         02 Coluna publicada em jornal (fisico e on line);

·         01 Participação em Comissão Julgadora;

·         01 Aforismo publicado em livro físico;

·         01 Livro físico publicado;

·         02 Trovas em destaque em desfile;

·         01 Homenagem em poema;

·         02 Trovas estudadas em sala de aula;

·         01 Palestra ESPALHANDO POESIA proferida em escola;

·         01 Participação em colar de trovas;

·         01 Lançamento de livro físico.