segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Poema Classificado XXII


Foto: do autor

Um Conto de Fadas

Bruxas não me causam temor
porque as sei todas queimadas,
o que me arrepia de fato
são as mulheres lindas
feito fadas fátuas.

São meu maior horror
as mulheres fatais
de sexos frígidos
e bocas vazias de palavras e coração.

São elas, as musas, beldades
harpias que nos enfeitiçam
e envenenam.
De tão néscias que são
atiram-se de prédios
e a frente de trens.

Tomam venenos em cálices de cristal.

Classificado para edição no Prêmio Cultural "O Feiticeiro das Letras" da Academia Alquimia, novembro/2014.


Um comentário: