terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Poemas Classificados (2016) - I


Fonte: em.com.br

Amargo Rio Doce

Rio acima desovo-me
fluido fujo da foz
evitando aMAR.
Águas mortas
em linhas tortas
sólidos liquefazem no ar.
(Partículas em suspeição).

Rio suspeito
em meu leito
de sublevação.
Peixe fátuo, fresco, frito
água furtada, fonte aflita
torrente de monção.
(Água turva insurreta).

Pousa em graça
pouso de graça
bicos longilíneos, des-caminhar.
Correnteza, cabeceira
leito seco, peito seco, corre seco
a caminho do aMAR.
(Movem-me moinhos, aguarrás).

Classificado para a revista GENTE DE PALAVRA - 40 (janeiro/2016), de Porto Alegre (RS)  em 11/1/16.

2 comentários:

  1. São tantas coisas que posso aprender com você, e seus poemas. Ah! se Deus me desse o dom de escrever tão lindamente.

    ResponderExcluir