terça-feira, 8 de março de 2016

Poemas Classificados (2016) IV


Fonte: tertuliabibliofila.blogspot.com


Privação

Na taberna dos sonhos
prateleiras vazias
fazem proclamas de solidão.

Atiro-me sobre as horas
para matar o tempo
de saudades imorríveis.

Escrevo joios em minha seara
que o minuano
varreu de silêncios e gafanhotos.

Em meu peito seco
correm areias e desesperanças
inundando as vazantes de nostalgia.

Meus dias são de eterno perder-me
se te ausentas
da minha diária ração de amor.

Classificado para a Revista ENTREVERBO - 26 - março/2016 - Canoas (RS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário