domingo, 3 de julho de 2016

Poemas Publicados - 2016 - (Número 272 - Ano III)


Foto do autor.

A Fragilidade do Azul

Todo carinho ainda é pouco
para coração assim
tão frágil.

Sim, cuidado! Pois meu coração
é frágil como um faquir
ou professor de física
tísico e desgrenhado.

Fragilíssimo!
Como a moça de porcelana e celulites
que, às quintas, cospe fogo
em circos de quinta.

Frágil como uma réstia de luz
no derradeiro instante
de um crepúsculo azul.

Poema publicado no MUNDO DAS POESIAS em 8/2/15.
Link para a postagem:
http://mundodaspoesias.com/afragilidadedoazul

2 comentários:

  1. Parabéns senhor poeta pelo belíssimo poema!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Senhora diretora Edalva Maria, obrigado. Abraços.

    ResponderExcluir