domingo, 11 de janeiro de 2015

Poema dos 47 anos - V


Fonte: sardaniscar.blogspot.com

Se te Ausentas

Meus meros olhos cegos
Das poeiras e da vida, esmeram em ver
Se te não enxergam. Tão inúteis!

Se nãos são dos teus azuis
Como o céu de que te originas.
Pois de lá é que os anjos provêm.

Minhas mãos o que tocarão?
Apenas vazio
Se te fazes ausente.


7 comentários:

  1. Ao ler-te, tuas palavras me absorvem. Belíssimo poema.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia! Agradeço a presença constante e os comentários sempre gentis Zélia Celina. Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia! Vera querida, sua presença em meu blog é sempre motivo de alegria e seus comentários me emocionam. Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Quando só encontramos o vazio, é hora de repensar. Sempre lindos poemas. Um abraço.

    ResponderExcluir