sábado, 28 de fevereiro de 2015

Um Poema Antigo IV



Fontes: www.humordaterra.com  e pt-br.toque105.wikia.com

Tríade

Em cada árvore, pendurado
o cavanhaque do Raul
sustentava, num varal,
minhas pegadas
quando desfilei minha poesia gauche
pelas praias de Santos.

Gonzaga, Raul e eu
poetas paranóicos
perdidos na praia
exilados de um Brasil já alugado.
De óculos escuros
nenhum colírio, só delírios psicodélicos.
traçando letras lúdicas
em linhas inúteis e tortas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário