segunda-feira, 22 de maio de 2017

Textos Publicados 2017 - 26 (N.º 472 - Ano III)

Flores de Espada de São Jorge. Foto: Francisco Ferreira.

Mineirês é tud’bão!

Todos sabem que nós mineiros temos um dos sotaques mais espetaculares dentre os brasileiros, existem certas expressões e palavras que só sendo mineiro para entender. Dois bons exemplos são: TREM (que para nós quer dizer quase tudo e dependendo da entonação, pode ser elogio ou xingamento), e o Nóóóóó (que quer dizer, mais ou menos, Valei-me Nossa Senhora Aparecida!).
Normalmente, nas conversações, economizamos letras e até sílabas, como nos casos: pãozim, li de leite, ki de carne, pin com mel (pãozinho, litro de leite, quilo de carne, pinga com mel), o nosso gerúndio é diferente: falano, bateno, contano. E emendamos as palavras, numa elisão digna de estudos mais profundos.
E, em virtude disso é que lhe apresento o texto a seguir, um breve diálogo entre uma filha adolescente que chega em casa tarde, com a sua mãe preocupada e brava.
Mãe X Adolescente (Em Mineirês Avançado)
A menin chegu’in’casa tar’da’noite. A mãe, mun’brava, pass’nela um ispicial daqueles:
−On’cê’tava t’esta hora, trem? Nos’sinhora, cê qué mi matá de preocupação, disgramada? Que’cê tava fazen, trem?
A fi’adolescente respond’assim:
−Nóóóóóóóó´ mãe, qu’iscândal’éeste? O quê’cos vizim vão pensá di mim? Nóóóóóóó´....
−Criá fi’é assim mesm, a gent’num tem sussêgo inda purcima num pod’nem ficá brav’qui fi’num gosta. Cê qué mimatá, trem, cê fala!
− Nóóóóóóó´mãe, cê nu’intende nada mesm’não!
A fi’adolescente sai baten’a porta!
A mãe, falano sozinha:
−Pode? Num pode! On’si’viu u’a coisa desta? Minin’est’idade chegá in casa u’a’ora desta? Meu Deus, on’qui‘nós vão chegá? On’qui’nós vão pará? Tô im’tempo de tê’um tróço! Av’Maria! Crendospadre...

E, se quiserem ouvir mais de mineirês, pareç’aqui em Conceição, vamo trocá um dedim de prosa, regad’aum cafezim quentim, um paozim de queix ou s’ocê prifiri u’a cachacim...
Boa semana pr’ocês!

Publicação em minha coluna fixa FIEL DA BALANÇA no blog OCEANO NOTURNO DE LETRAS – Rio de Janeiro (RJ).

http://oceanonoturnodeletras.blogspot.com.br/2017/05/coluna-fiel-da-balanca_15.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário