domingo, 1 de novembro de 2015

Amigos que Escrevem VIII



Fonte: adoradoresdoreidosreis.wordpress.com

Dia de Finados 

Dia de quem chegou ao fim 
Finados 
O fim não é assim 
Enterrados. 
Vida após a morte, sim 
Ressuscitados? 
Abel, morto por Caim 
Alguém morto no Botequim 
Saiu a pouco no folhetim 
Todos acabados? 
Aquele que caiu do trampolim, 
O ruim. 
O que perdeu mais um rim, 
O doente, velho estropiado... 
Todo mundo finado. 
O ente estressado 
Nesse dia separado 
Vai ao cemitério vê-lo enterrado 
Coitado! 
Nosso caminho está traçado 
Rico, pobre, são e doente 
O buraco acolhe quem corre 
E quem abraça a malfadada 
MORTE! 
Como o destino 
Num desatino da vida 
Que teimou em nos deixar .

(Marcelo de Oliveira Souza)


* Poema registrado na Usina de Letras


Marcelo de Oliveira Souza, IWAEscritor e  Organizador do Concurso Literário "Poesias sem Fronteiras"

Nenhum comentário:

Postar um comentário