segunda-feira, 20 de março de 2017

Poema Publicado 2017 - 005 (N.º440 - Ano III)

Fonte: Pinterest.com (Imagem do Google).

Operariado


A vida é curta
para dias tão longos
de noites brevíssimas...


O peso do cansaço
tenta abotoar meus olhos
de pálpebras flácidas
mas, trabalhar é preciso!
A mulher com boca de capataz
esgoela: “Carpe Diem!”


Vou carpindo minha sina de cavalo cansado
escoiceando esta vida
para garantir os puros-sangues do patrão – haras e harém –,
cavoucando míseros trocados
que “Seu” Político apelidou de salário.
Melhor recebê-los em sal
para temperar a lida diária
embora “Seu” Doutor tenha proibido.


A fome bate á porta,
o despejo ronda o barraco,
a doença invade em várias frentes
e a esperança desbotada
já se mudou para debaixo do viaduto.


Então crio coragem
e envergando a couraça da cachaça vou à luta
em noites brevíssimas
de dias tão longos
para vida tão curta.

Publicado no blog SENDEIRO DAS LETRAS de que sou colaborador, em 18/3/17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário