segunda-feira, 6 de março de 2017

Textos Publicados 2017 - 14 (N.º 429 - Ano III)


Flores Silvestres. Foto: Francisco Ferreira.

Quaresma – Tempo de Tornarmo-nos Melhores Cristãos



Findo o carnaval que é o período em que se pode fazer quase de tudo, enfim é chegado o tempo da Quaresma “o tempo litúrgico de conversão, que a Igreja marca para nos preparar para a grande festa da Páscoa. É tempo para nos arrepender de nossos pecados e de mudar algo de nós para sermos melhores e poder viver mais próximos de Cristo”.

É o tempo em que nós, os cristãos, rememoramos os quarenta dias em que Jesus se retirou para o deserto, preparando-se para a sua missão divina de resgatar a raça humana. Neste período Ele foi extremamente tentado a, em abrindo mão de Sua condição de filho unigênito de Deus, construir uma nova vida, com novíssimas oportunidades e é preciso que nos recordemos de que, apesar de sua natureza divina, Ele também era humano. Assim como Jesus, quantas vezes nos sentimos tentados diuturnamente em nossos desertos individuais?

Somos maridos vítimas da tentação de rostos bonitos, mais jovens e solícitos. Somos esposas tentadas por moços de corpos fabricados e esculpidos nas academias, do elogio fútil, interesseiro e vazio de quaisquer sentimentos e de um universo de possibilidades de sensações desconhecidas. Somos jovens expostos à tentação da fictícia e letal viagem das drogas, dos hormônios em ebulição a nos propor prazeres fáceis, de nos rebelarmos contra toda e qualquer forma de autoridade, para nos auto afirmar. Somos empresários tentados a superfaturarmos notas, a elaborarmos esquemas de burlar o fisco, a praticarmos preços desumanos e colocarmos no mercado produtos nocivos e falsificados. Que nos permitam o enriquecimento rápido.

Lembremo-nos de que Jesus, naquele deserto, estava solitário, faminto, sedento e fragilizado diante da visão das dores e humilhações que o futuro Lhe reservava. Mas, ainda assim, resistiu bravamente aos apelos do inimigo, porque  Cristo sabia de sua responsabilidade com a salvação de todos os homens e, heroicamente e divinamente, responde ao tentador: “Está escrito: nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.” (Mt 4, 4) e visto que o diabo não se deu por vencido e, ao contrário, aumentou a sua carga, armando ainda mais ardilosas teias, admoestou-o: “Vai-te, Satanás, porque está escrito: ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele servirás.” (Mt 4,10). E não sucumbiu.

Enquanto nós, em nossas tentações diárias, embora em muitas situações nos sentirmos fragilizados, jamais estaremos solitários se o quisermos, pois se chamarmos Jesus, se clamarmos por Ele com fé e devoção Ele nunca nos deixara enfrentar sozinhos ao enganador, pois foi esta a Sua promessa: “Eis que estarei convosco todos os dias, até o final dos tempos.” (Mt 28,20). Clamemos com fervorosa confiança! Aproveitemos este tempo de recolhimento interior, em que desviamos nossos olhos narcisistas para a vida e, principalmente, à paixão e morte de Nosso Senhor e tornemo-nos dignos de ressuscitar com Ele na Páscoa. Pois esta sim é a Nova Vida, a vida plena de novas e verdadeiras oportunidades e possibilidades. Uma vida eterna de amor e aconchego nos braços do Altíssimo.


Publicação da semana (décima) no blog Dias d’oje (Lisboa – POR) – Coluna: REFLAXÃO DA SEMANA - em 5/3/17.

https://diasdoje.blogspot.com.br/p/blog-page_30.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário