sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Textos Publicados 2017 - 046 (N.º 542 - Ano IV)

Flor Silvestre. Foto: Francisco Ferreira.



Maçonaria



A maçonaria, diferentemente do que muita gente acredita, não é uma sociedade secreta. É uma ordem iniciática, exotérica, filosófica, progressista e filantrópica com segredos. Também não é uma religião ou seita, aliás, para ser admitido como iniciado na Ordem é necessário que o proponente seja livre, de bons costumes e que professe uma religião, qualquer delas e que acredite num Ser Supremo. E, exatamente por admitir pessoas que professem quaisquer religiões que na Maçonaria, este Ser Supremo é chamado de Grande Arquiteto do Universo (Principal Planejador e Construtor do Universo). Não fazendo distinção de classes, raças, ideologia política ou religiosa.

O termo Maçonaria provem de mason (inglês) e maçon (francês) que significa pedreiro e construtor. É de presença mundial e se subdivide em células chamadas de oficinas ou, mais comumente, lojas. A célula de Conceição do Mato Dentro chama-se LOJA MAÇÔNICA ATALAIA DA SERRA e foi fundada em 1980, tendo portanto 37 anos. Segundo dados de 2008 existem no mundo todo 3,6 milhões de maçons, sendo, no Brasil, 170 mil.

O lema da maçonaria é LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE sem a sobrepujança de nenhum destes princípios.

Sua origem (Maçonaria Primitiva) é definida como tendo seu início entres os construtores dos templos da Idade Média, embora alguns autores e a própria Ordem date como seu surgimento no período da construção do Templo de Salomão (sec.XI a.C).

A maçonaria como a conhecemos hoje e que é denominada como Maçonaria Especulativa, surgiu em 24 de junho de 1717, na Inglaterra com o rompimento da Ordem com a Igreja Católica, a adoção da filosofia Iluminista.

Seus princípios éticos, muitos de seus símbolos e nomeações de seus graus (são ao todo 33) são baseados no judaísmo e no Antigo Testamento, embora hoje convivam bem Maçonaria e Igreja Católica Romana, a Ordem já foi condenada em mais de 20 ocasiões:

·         Sendo a primeira em 28 de abril de 1738  atráves da bula do Papa Clemente XII, denominada In Eminenti Apostolatus Specula.

·         O papa Leão XIII foi um dos seus mais ferrenhos opositores que a designava como Reino de Satanás em 1884 

·         E sua última condenação data de 1902, na encíclica Annum Ingressi, endereçada a todos os bispos do mundo em que alarmava da necessidade urgente de combater a maçonaria, opondo-se radicalmente a esta sociedade.

As Lojas não abrem seus trabalhos ordinários e seus rituais para o público em geral, mas em diversas ocasiões fazem o que chamam de Seções Brancas, em que não iniciados podem adentrar seus templos e assistir a suas reuniões.

Embora extremamente combatida (sobretudo pelas igrejas cristãs mais ortodoxas) e principalmente mal interpretada pelos “leigos” a maçonaria sobrevive ao tempo, está presente em muitos setores da sociedade e exige de seus membros patriotismo, espírito progressista e fraterno e que sejam “exemplos” na sociedade. Especula-se e, em muitos casos, a própria história atesta a sua participação em momentos decisivos da humanidade, como:

·         Inconfidência Mineira (Minas Gerais – 1789);

·         Revolução Farroupilha (Rio Grande do Sul e Santa Catarina - 1835 a 1845);

·         Independência do Brasil (1822);

·         Guerra de Independência dos EUA (1775 a 1783).

O patrono da Maçonaria é São João e o dia do maçom é comemorado em 20 de agosto. Talvez vocês já tenham visto adesivos em carros com um bode estilizado (de óculos e fraque) com os dizeres: “NÓS NÃO SOMOS O QUE DIZEM QUE SOMOS”, trata-se um free-maçon, um pedreiro-livre pedindo que não seja julgado sem o devido conhecimento prévio e, é um maçom (embora irregular e infrequente) que lhes afiança, com toda certeza, a maçonaria não teve, não tem e nunca terá qualquer intenção maléfica e nenhum caráter satanista. Trata-se apenas de uma ordem filosófica e discreta de homens livres e de bons costumes. O que mais dizerem são lendas e preconceito.

Publicação de minha coluna semanal FIEL DA BALANÇA no blog OCEANO NOTURNO DE LETRAS, do Rio de Janeiro (RJ), em 24/7/17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário