quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Texto Classificado 2017 - 002 (N°383 - Ano III)



Torre da Capela do Ginásio São Francisco. Foto: Francisco Ferreira.
Filologia Alquímica de Corpos

 Depois de séculos de cartas esquecidas no escaninho dos segredos, da milenar e afligente espera, era tão grande a necessidade de darem-se que desdenharam quaisquer nomes. Dessentiram sentidos, mantiveram apenas o tato, para que suas peles, dedos e sexos os nomeassem, encontrassem sinônimos para o amor.
Selecionado e publicado no blog Micro Estórias (em 31/10/16, mas que só ontem tive acesso).
https://microestoria.wordpress.com/2016/10/31/filologia-alquimica-de-corpos-francisco-ferreira/

Nenhum comentário:

Postar um comentário