segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Poemas Publicados 2017 - 004 (N.º 423 - Ano III)

Flor Silvestre. Foto: Francisco Ferreira.

Dádiva da Fé


Em prol de suposta felicidade
fronteiras, limites desconheci;
códigos, normas desobedeci,
cultuei mentiras, desdenhei verdade...


Em nome de pseudo-saciedade
a minha vida, de então, investi;
existência esta que eu quase perdi, em
frívolos favores, futilidades...


De vacilo em vacilo fui passando
e desse diário em si, quase desisto,
felicidade, se distanciando...


Parei. Pensei! O que procuro será isto?
Ver a minh’alma se deteriorando;
quando feliz de verdade, só em CRISTO?

Publicação da semana (nona) no blog Dias d’oje (Lisboa – POR) – Coluna: REFLAXÃO DA SEMANA em 26/2/17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário